Varzea da Rainha

faz_mta_impressao

Shopping bag

Your bag has items Total: €

When utilizar um cartaz?

Em múltiplas circunstâncias. Para fazer um anúncio público, promover um evento ou produto, dar informação. O cartaz é um formato gráfico de grande flexibilidade. Entre os cartazes que dão conhecimento de um evento numa paróquia àqueles que promovem um concerto rock ou uma festa académica, há um leque infinito de utilizações.

Que tamanhos de cartazes se podem fazer?

A VRI especializa-se nos tamanhos pequenos e médios, mas também é possível fazê-los em tamanho muito grande, caso haja necessidade. Consulte-nos.

Há produtos de tipo semelhante?

Sim. Por exemplo os roll-ups, aquela espécie de cartazes que se desenrolam num evento e se voltam a enrolar quando ele termina. Ou os mupis, que encontramos, por exemplo, nas paragens de autocarro.

Faz sentido o cartão de visita hoje em dia?

Ele deve ser sempre personalizado, nem que seja implicitamente, quando adopta o modelo mais clássico e sóbrio. O desenho, a letra e o tipo de papel podem reforçar a informação apresentada.

Pode haver cartões diferentes para ocasiões diferentes?

Claro que sim. Pode optar por ter cartões em diversos idiomas, para quando vai viajar, ou até com diferentes dizeres ou imagens.

É obrigatório encomendar um número mínimo de cartões?

Ao contrário de outros produtos na VRI, o cartão-de-visita tem uma encomenda mínima de 25 unidades, e encomendas mais elevadas são igualmente em múltiplos de 25, por razões técnicas.

Porquê um vinil?

Porque torna visível a sua mensagem onde quer que esteja. Desde um pequeno autocolante à cobertura de um vidro, do exterior de um veículo ou uma parede, são imagens ricas em cor e detalhe, inescapáveis ao olhar.

Há tamanhos de vinil padronizados?

O vinil é um material que pode ser usado em qualquer tamanho ou formato. E reutilizado, as vezes que for preciso.

Posso publicar qualquer livro que queira?

Sim, desde que o seu livro não desrespeite as leis nacionais e se enquadre num dos nossos formatos e acabamentos definidos, a liberdade de escolher o que quer publicar é sua.

Como posso publicar numa editora?

Claro que sim. Temos ao seu dispor a Editora Sinapis, onde para poderemos ajudá-lo não só com a edição, mas também com vários outros passos necessários para comercializar o livro.

Como fazer a capa do livro?

A VRI tem modelos de capa padronizados para diferentes tipos de livro. Pode utilizá-los sem qualquer custo adicional. Caso prefira, temos designers que o ajudam a criar uma capa personalizada.

Uma boa capa é importante?

Fundamental. É o rosto do livro. Não é raro um leitor comprar um livro pela capa. Se esta, além de esteticamente apelativa, corresponder de facto ao conteúdo, é meio caminho andado para o reconhecimento.

Quanto a fotografias, desenhos, caricaturas...

Tudo isso pode surgir na capa ou no interior do livro. Com as facilidades que a tecnologia hoje proporciona, não há obstáculos à utilização. Consulte-nos.

Uma vez editado o livro, o que mais há a fazer?

Eventualmente nada, se o autor achar que o seu livro já é suficientemente grande para enfrentar sozinho os azares do mercado. Cada queira dar-lhe uma pequena ajuda - ou várias - a VRI ajuda-o a si. Um conjunto completo de materiais promocionais permite à sua obra concorrer com as outras em condições de (pelo menos) igualdade.

De que materiais se trata?

A escolha é enorme. Cartazes, flyers, convites, roll-ups, lonas, vinis, booklets. Ou o mais simpático de todos, o humilde marcador, dentro ou fora do próprio livro.

Quanto a imprensa, lançamentos, etc.?

Preparamos o press-release, organizamos o lançamento. Tudo a preços módicos.

Porquê imprimir teses académicas na VRI?

Uma tese apresentada em formato de livro, com acabamento profissional, tem muito melhor aspeto do que um mero conjunto de folhas impressas ou fotocopiadas.

Isto só se aplica a teses já apresentadas?

Um orientador ou membro de júri pode achar agradável ver o texto de uma tese num formato que lhe torne mais fácil lê-la. Mesmo que isso não tenha influência directa sobre a nota final...

A VRI responsabiliza-se por aspetos de estilo gráfico, etc.?

Se trouxerem as normas ténicas de uma determinada universidade, a VRI compromete-se a respeitá-la.

Uma vez apresentado e aprovado o trabalho, o que se pode fazer?

A biblioteca da universidade apreciará certamente dispor de uma ou mais cópias. Além disso, se o autor da tese o desejar, pode transformar a tese em livro e imprimir alguns exemplares - um, três, os que entender - para oferecer a familiares e amigos.

Porquê um e-book?

O e-book, ou livro digital, tem a vantagem de não ocupar espaço, praticamente não ter peso (cabem centenas ou milhares deles num pequeno aparelho, ou num computador), e ser instantaneamente consultável. Além disso, não se deteriora.

E-book e livro físico são incompatíveis?

Obviamente que não. Há mesmo que comece a ler uma obra em formato e-book, por exemplo no iPad, e a acabe no volume físico. É tudo uma questão de hábito. Aliás, mesmo o e-book pode transitar entre vários tipos de aparelho, desde o computador ao telemóvel, passando por uma variedade de outros dispositivos portáteis.

Como se promove um e-book?

Da mesma forma que se promove qualquer outro livro. Com eventos, lançamentos, cartazes, imprensa, e também publicidade na internet. Falta-lhe apenas o marcador clássico. Em contrapartida, há inúmeros materiais que se podem adicionar, sem limite de espaço.

Porquê comunidade?

Porque um livro não existe no vazio. Sem leitores, de pouco serve, por mais satisfação que tenha dado a quem o escreveu. Para muita gente, aliás, o convívio literário é uma das motivações que as leva a escrever.

Que formas pode assumir esse convívio?

Desde os lançamentos aos clubes do livro, passando pelas visitas às escolas, os debates, etc., cada formato e cada público tem a sua razão de ser.

Que pode a VRI fazer?

A nossa comunidade de autores e leitores está em crescimento permanente. Cada novo autor a enriquece, e é por sua vez enriquecida por ela. No site e fora dele, há muitos amigos a fazer.